Visando integrar a sustentabilidade nas Olimpíadas 2020, Comitê Olímpico de Tóquio pretende as medalhas olímpicas a partir da reciclagem de celulares.

Parece que foi ontem que estávamos na maior torcida, vibrando a cada ponto, a cada vitória, conhecendo várias história de superação e superfelizes e orgulhosos em sediar os Jogos Rio 2016.
E toda essa euforia nem bem acabou e já estamos ouvindo notícias e curiosidades das próximas Olimpíadas 2020, realizadas em Tóquio, no Japão.

É isso mesmo! Por lá a movimentação já é grande e tem muita novidade para surpreender muita gente! No post de hoje você vai ficar por dentro de uma delas, sobre a produção das medalhas que serão entregues nas premiações aos atletas olímpicos.

Jogos Olímpicos sustentáveis

Há algumas edições vemos muitas inovações nas Olimpíadas, que deixou de ser apenas um evento para celebrar a união dos povos a partir das práticas esportivas e passou a despertar outros valores, como a consciência ecológica e sustentável.

Em 2010, nos Jogos Olímpicos de inverno de Vancouver, algumas medalhas olímpicas foram fabricadas com a reciclagem parcial de alguns materiais. Já nos Jogos Olímpicos Rio 2016, vimos alguns avanços na questão de inclusão social, com a fabricação de medalhas especiais para os atletas paralímpicos, com inscrições em braile e guizos que emitiam sons para identificar as medalhas. Além disso, alguns metais retornáveis também foram utilizados na fabricação das medalhas de bronze e prata. No post sobre o lançamento das medalhas Rio 2016, a gente contou várias curiosidades, espia lá!

Olimpíadas-2020-Medalhas

E não parou por aí não. Além da sustentabilidade, demos um show na cerimônia de abertura dos jogos, onde 12 mil atletas receberam uma semente, de 207 espécies de árvores, que representavam os 206 países e o time de refugiados (no total foram 15 mil sementes, teve atleta que plantou mais do que uma) que foram plantadas em toteens. Estas mudas serão plantadas no Parque Radical de Deodoro, para dar origem à Floresta dos Atletas, um dos legados dos Jogos Olímpicos aqui no Brasil.

E agora vemos Tóquio, com a proposta de fabricar todas as medalhas que serão utilizadas na premiação das Olimpíadas 2020, a partir da reciclagem de celulares. É isso mesmo que você leu, o bom e velho celular.

Como serão feitas as medalhas das Olimpíadas 2020?

Como não poderia deixar de ser, Tóquio, cidade sede das Olimpíadas 2020 – assim como todo o Japão, tem uma cultura altamente tecnológica e pretende produzir as cinco mil medalhas que serão entregues nas premiações aos atletas a partir de celulares reciclados. A coleta dos aparelhos já começou e o comitê organizador está otimista com o projeto em que pretende coletar oito toneladas de metal (40 Kg de ouro, 4920 Kg de prata e 2944 Kg de bronze), que depois de processada resultará em duas toneladas.

Olimpíadas-2020-Toquio

Para conseguir atingir este número expressivo de material, os organizadores pediram ajuda da população. Em uma entrevista coletiva, a governadora de Tóquio, Yuriko Koike, declarou estar emocionada com este projeto por ver simples celulares se transformarem em medalhas olímpicas e paralímpicas.

O projeto foi lançado seguindo uma recomendação da Agenda Olímpica de 2020, que é integrar a sustentabilidade em todos os aspectos do planejamento e execução dos jogos, além de aumentar a participação direta da população nas Olimpíadas 2020, que promete ser a primeira edição dos Jogos Olímpicos com medalhas 100% recicladas.

A população vai poder descartar os aparelhos celulares em 2.400 pontos de coleta que serão implantados nas lojas da NTT Docomo, operadora de telefonia japonesa, a partir de abril. Confira o vídeo abaixo e saiba mais sobre o projeto:

Reaproveitamento e os riscos do lixo tecnológico

Pode não parecer, mas você viu com o exemplo do projeto das medalhas das Olimpíadas 2020 que o lixo eletrônico pode ser muito bem aproveitado, já que algumas conexões em smartphones ou outras peças levam fios de bronze e ouro.

Isso nos faz refletir de que projetos como este devem ser cada vez mais recorrentes, já que o acúmulo do lixo tecnológico tornou-se um problema mundial que dever ser discutido e solucionado. É difícil precisar exatamente um número sobre a quantidade de lixo eletrônico em todo o mundo, até porque esse descarte é feito muitas vezes de forma inadequada.

Mas, segundo dados registrados em 2014 por uma pesquisa realizada pelo GSMA, feita em parceria com o Instituto para Estudos Avançados de Sustentabilidade da Universidade das Nações Unidas, mais de 40 mil toneladas de lixo tecnológico foram descartadas no mundo, sendo 9% produzido só na América Latina.

Olimpíadas-2020-reciclagem-celulares

Isso que se analisarmos, o celular é quase totalmente reciclável: a cada um quilo de celular, pode-se reaproveitar 650 gramas de metal e 250 grama de plástico. Mas, pelo menos aqui no Brasil, segundo levantamento da Nokia, o índice de reciclagem é muito baixo, sendo apenas de 2%.

Isso significa que 98% dos celulares serão guardados em casa ou o que é pior, despejados no lixo comum, o que cria um sério problema ambiental já que o lixo tecnológico, na maioria das vezes, contêm substâncias químicas, como chumbo, mercúrio, cádmio, berílio entre outros.

Olimpíadas-2020-reciclagem-info

Estas substâncias podem provocar a contaminação da água ou do solo, além de causar doenças nas pessoas que trabalham na coleta em lixões, ou mesmo ruas e terrenos baldios. Além disso, os materiais que compõem os celulares são na maioria plástico, vidro e metais, que são dificilmente decompostos no solo.

É por isso que é necessário despertar uma consciência para este problema do lixo tecnológico e buscar cada vez mais soluções para esta questão que faz parte dos dias atuais, como o exemplo do que está sendo realizado para as Olimpíadas 2020. É necessário que cada um faça a sua parte e realize o descarte correto dos aparelhos celulares inutilizados. Por isso, não jogue celulares no lixo comum e procure sempre as revendedoras de sua operadora, para que as baterias possam ser devolvidas às empresas fabricantes, sendo despejadas em locais seguros.

E você, o que achou deste projeto superbacana de reciclagem de celulares para a fabricação das medalhas das Olimpíadas 2020 de Tóquio? Deixe a sua opinião nos comentários e conte pra gente se você conhece algum outro projeto que utiliza a reciclagem de lixo tecnológico. :)

Com informações e imagens de: Pinterest; olympic.ca; tudocelular.com; autoworldnews.com; xataka.com; esporte.ig; meioambiente.culturamix; PlayGroudBR; .ecycle.com.br; tecnoblog.ne; oglobo.globo; tecmundo.com.br.

 

Deixe uma resposta